Coquette - de origem francesa "coquette" significa sedutora, na gíria portuguesa pode significar vaidosa ou graciosa. Intelectual - que pertence ao intelecto ou à inteligência, espiritual.

18
Jan 10

 

 

Marta Gautier é psicóloga.

As relações parentais são objecto central do seu trabalho e observação. No livro Não há Famílias Perfeitas - mulheres, mães e desabafos, partilha um pouco da sua experiência clínica. Marcelo Rebelo de Sousa prefacia e parte de uma interrogação: "O que é ser Mulher e Mãe em Portugal, em 2009?"

(...) E esclarece desde logo: tratando-se de família, a normalidade não existe!

 

"Vistas de perto, todas as famílias são muito esquisitas", lê-se no seu livro. Quer dizer que a família é sempre uma realidade disfuncional?

Muitas vezes, ao observarmos muitas famílias, pensamos serem mais felizes ou mais normais que a nossa. Mas se por acaso pudéssemos lá viver escondidos durante 15 dias íamos ver que todas as famílias têm as suas disfunções. Aliás, às vezes, quanto mais disfarçado e silencioso é o sofrimento, maiores os danos.

Uma mulher, ao ver o seu filho, não sentiu o que esperava. Confessou-o com uma enorme culpabilidade.

Muitas vezes a mulher tem a sensação de estar à frente de um desconhecido cujo amor não aparece logo inteiro. O amor pelos filhos nem sempre é pacífico. 

Nos testemunhos do livro, mães descrevem não gostar da gravidez; não querer dar de mamar; estar farta dos filhos, do marido, de sentirem que já não são elas próprias. E também há homens a queixarem-se!

Porque é que tantos casamentos se estragam com os filhos?

Um filho só promove comunicação se ela já existir antes do seu nascimento. Algumas vezes, um filho torna-se o álibi perfeito para que o casal não tenha de se relacionar entre si nem resolver os seus problemas. A problemática do mau comportamento ou outros sintomas pode, por exemplo, vir daí. Desde cedo a criança percebe que tem a função de unir os pais dando-lhes o que fazer e assim distraindo-os um do outro.

As pessoas tentam "cumprir um velho sonho" quando constituem a sua família?

Ao formar uma família, cada pessoa, além do seu passado, traz uma ideia de família ideal. Depois, na sua forma de agir, umas vezes fá-lo em oposição aos seus modelos de referência, outras, por imitação. A somar a isto ainda vem "o outro" com todo o seu passado, família ideal, acções e intenções. Agora digam-me, depois disto, como pode ser fácil viver em família?!

"A minha vida resumia-se a verificar se tudo se mantinha na ordem que eu tinha predeterminado." 

Como é que as pessoas podem libertar-se da tirania que impõem a elas próprias?

Graças a Deus, na maior parte dos casos, a "cabeça" educa-se. A ansiedade do controlo pode tornar-se numa espiral da qual parece que ficamos reféns. Mas com vontade e técnica, podemos forçar esses pensamentos a desistir.

 

Anabela Mota Ribeiro

Máxima, Fevereiro de 2010            

publicado por coquetteintelectual às 19:25

Janeiro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

12
13
14
15
16

17
19
20
21
22

24
26
27
29

31


mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
blogs SAPO